PT

1.D – A brutal Devassa no território do Alto Douro

IV

Como o leitor já sabe, o volume presente constitui, sensivelmente, metade do texto do códice encontrado (mil seiscentos e vinte e quatro fólios em três mil cento e quarenta e um). Nele se incluem depoimentos de denunciantes que livremente se apresentaram a Mesquita e Moura (entre 11 de Fevereiro de 1772 e 2 de Novembro de 1773) e de testemunhas compulsivamente citadas a comparecer em juízo (entre 6 de Março e 17 de Dezembro de 1772).

Verifica-se, porém, o facto de tratar-se de um traslado do processo verbal original, transcrito tal como se apresenta – enquanto códice pré-ordenado – obrigou a respeitar uma peculiar arrumação dos depoimentos, então feita, não por ordem rigorosamente cronológica. Mas de acordo com as exigências do processo, quaisquer que elas fossem. Como na nota de leitura melhor se explica, quer isto significar que o leitor encontrará uma sequência de depoimentos que seguindo rigorosamente o texto do códice transcrito, não é a respetiva ordem cronológica, alterada pelo escrivão aquando da sua redação final.

            Para melhor situar o leitor, ora na cronologia real dos depoimentos, ora na ordem por que apareceram no códice, elaboramos dois quadros:

  1. Quadro cronológico dos depoimentos, organizado segundo a cronologia exata dos depoimentos, tanto voluntários como compulsivos, que se vão alternando ao longo do códice contendo o traslado da inquirição.

 

  1. Quadro codicológico dos depoimentos. Reproduzindo a ordem que foi dada no códice a todos os depoimentos, registando primeiro os voluntários e depois os compulsivos.

 

No próximo registo vamos percorrer o Roteiro.